skip to Main Content
Conferência “À Volta Do Vinho: Enoturismo à Prova”: O Enoturismo é Um Objetivo Prioritário.

Conferência “À Volta do Vinho: Enoturismo à Prova”: O Enoturismo é um objetivo prioritário.

Trabalhar em rede, melhorar a qualificação dos recursos humanos e a promoção foram algumas das soluções apontadas para afirmar a região saloia como um verdadeiro destino enoturístico na conferência “À volta do vinho: Enoturismo à Prova”, que decorreu dia 15 de novembro, na Adega Regional de Colares.

A conferência promovida pela A2S – Associação para o Desenvolvimento Sustentável da Região Saloia contou com cerca de 100 participantes sobretudo ligados à vitivinicultura animação turística e alojamento que puderam assistir aos testemunhos de importantes académicos e profissionais com experiência reconhecida na estruturação, comunicação e comercialização de produtos enoturísticos.

Casa cheia para a conferência

Na sessão de abertura José Vicente-Paulo, Presidente da Adega Regional de Colares, saudou todos os presentes e salientou a importância que o enoturismo tem tido na modernização daquela instituição nos últimos 25 anos, evidenciando a necessidade de profissionalizar este tipo de oferta.

De acordo com António Pombinho, Presidente da A2S, o desenvolvimento do enoturismo é um objetivo prioritário da Estratégia de Desenvolvimento Local 2014-2020, sublinhando que a região saloia beneficia pela primeira vez dos fundos da abordagem LEADER, pelo que deve ser capaz de aproveitar plenamente a oportunidade que agora nos é oferecida, tirando partido dos apoios disponíveis, mas também dos nossos recursos, da capacidade dos nossos agentes económicos, das nossas autarquias locais e de todos os que estão disponíveis para desenvolver um destino turístico na região saloia.

Por seu turno José Arruda, Secretário-Geral da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho, deu conta do trabalho desenvolvido por esta entidade no desenvolvimento do Entourismo e em particular dos municípios seus associados. Aproveitou também para anunciar em 2018 será lançado o concurso 7 maravilhas à mesa, onde o produto gastronomia e vinhos terá papel de destaque.

Elizete Jardim, Diretora Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo, recordou o processo de criação de A2S, destacando o facto de apesar da sua curta existência esta associação estar já na linha da frente, no que diz respeito à aplicação dos fundos comunitários da Abordagem LEADER. Instou também os presentes a procurarem a A2S para construir projetos relacionados com o enoturismo.

Por último, Piedade Mendes, Vereadora da Câmara Municipal de Sintra, deu as boas vindas a todos os presentes e destacou o empenhamento daquela edilidade na promoção de projetos relacionados com o desenvolvimento rural.

Jorge Sampaio, Presidente da Associação das Rotas de Vinho de Portugal (ARVP), Virgílio Loureiro, Professor do Instituto Superior de Agronomia e Ryan Opaz da Catavino, apresentaram comunicações sobre como criar um Enoturismo de sucesso.

O Presidente da ARVP começou por definir o conceito de Enoturismo, apresentando-o como o conjunto de atividades ligadas ao mundo do vinho, que provocam, nas pessoas, experiências e sensações únicas e que são complementadas, e complementam, a oferta turística de uma região.

Jorge Sampaio – Associação das Rotas de Vinhos de Portugal

Salientou a importância do enoturismo no Mundo e em Portugal, onde tem registado um crescimento anual superior a 15%. Terminou apresentando o exemplo da Rota da Bairrada, desde o processo de estruturação da oferta, passando pela estruturação e criação do produto turístico, até às atividades de promoção e comercialização que têm sido desenvolvidas.

Os produtores de uma região vitícola devem ter o desígnio de torná-la conhecida e compreendida, sendo a rota a melhor ferramenta para o efeito, de acordo com Virgílio Loureiro.

Para o professor do ISA as Rotas são uma ferramenta para promover uma região perante diferentes turistas com diferentes motivações e por isso devem segmentadas e desenhadas para explicar a originalidade património e estilos vinho.

As gentes do vinho e dos territórios devem ser as responsáveis pela coordenação de rotas de vinho que congreguem os seus diferentes agentes enoturísticos.

A fechar o painel, Ryan Opaz salientou a importância das novas tecnologias na divulgação do enoturismo e a necessidade de utilizá-las na promoção dos negócios de Enoturismo.

De acordo com este americano especialista na comercialização de produtos turísticos a promoção mais eficaz é o boca-a-boca, enaltecendo o papel das redes sociais neste domínio.

Referiu também que todos os clientes são diferentes e que os profissionais do Enoturismo devem ter a capacidade de perceber este facto adaptando a sua oferta aos diferentes tipos de perfis de clientes.

Terminou, dando algumas dicas para melhorar a promoção das empresas de enoturismo na internet e nas redes sociais.

Ryan Opaz

Virgílio Loureiro

Num painel dedicado à apresentação de casos de Enoturismo de sucesso da região saloia Florbela Baptista, representante da Câmara Municipal de Loures apresentou a experiência de quem contacta diretamente com os produtores, dinamiza iniciativas de sucesso no Museu do vinho e da vinha em Bucelas como “Há prova no Museu” ou mais recentemente o Arinto e Sabores Saloios, que terá a segunda edição em 2018 e algumas atividades desenvolvidas pela Rota de Vinhos de Bucelas, Carcavelos e Colares.

 

André Manz, brasileiro, proprietário da empresa ManzWine estabeleceu-se em Cheleiros, no concelho de Mafra, colocando-o no mapa, onde produz um vinho único no mundo da casta jampal, que é vendido sobretudo no estrangeiro. O pequeno negócio de produção de vinho foi sempre aliado ao Enoturismo. A adega é visitada praticamente todos os dias por turistas estrangeiros que se deslocam propositadamente a Cheleiros para conhecer e provar os vinhos da ManzWine.

Painel Casos de Sucesso

A histórica adega Viúva Gomes, um museu vivo desde sempre associada à produção de vinho de Colares viu no enoturismo, uma forma de aumentar as suas receitas. De acordo com o proprietário José Baeta, o Enoturismo representa neste momento cerca de 30% do volume de negócios e 20% do vinho produzido é vendido diretamente aos visitantes.

 

A finalizar a conferência, Márcia Mendes, Diretora Executiva da A2S, que assumiu o papel de moderação dos diferentes painéis, sintetizou as conclusões e reiterou a disponibilidade e o empenhamento daquela associação no desenvolvimento do Enoturismo na região saloia.

 

Vinhos da região saloia à prova

Prova de vinhos da região saloia

Os participantes na conferência tiveram também a oportunidade de provar vinhos produzidos na região saloia, sob a orientação de Vasco D’Avillez, Presidente da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa e dos enólogos Manuel Pires da Silva, da WineVentures Quinta da Romeira, Francisco Figueiredo, da Adega Regional de Colares e André Manz, da ManzWine.

Vasco D’Avillez homenageado

Homenagem a Vasco D’Avillez

O Presidente da CVR Lisboa, foi homenageado pela A2S. António Pombinho, presidente daquela associação salientou “as qualidades pessoais e humanas”, “a elevada disponibilidade e o empenhamento que demonstrou desde o início da criação da A2S”, de cuja direção também faz parte.